14 março 2021

Os Sete Maridos de Evelyn Hugo - Taylor Jenkins Reid

Eu não estava preparada para Evelyn Hugo.


Sempre que um livro alcança um hype eu fico receosa em entrar na leitura. Fico me perguntando se ele é realmente tão ótimo assim, se estou observando o Efeito Mandela acontecer ou ainda se eu serei aquela a ir contra a maré - isso é muito a minha cara. Não é que eu não acredite no potencial literário da obra, mas sabe como é, quando a esmola é demais o santo desconfia.



Título:
 Os Sete Maridos de Evelyn Hugo

Autor(a): Taylor Jenkins Reid

Páginas: 400

Publicação: Editora Paralela

Ano de lançamento: 2017

Compre: 







Com muito cuidado, e até atrasada no rolê, iniciei a leitura. De cara e muito facilmente, a escrita de Reid me envolveu. De maneira fluida, começamos a leitura no presente quando Monique, uma jovem jornalista com grandes aspirações, é convidada a dedo por Evelyn Hugo para escrever uma matéria sobre ela. Mas Evelyn não é uma famosa qualquer. É simplesmente uma das maiores atrizes da época de ouro do cinema cuja vida particular é um imenso mistério e contada apenas por tabloides da época. O que ela iria revelar e porque ela queria justamente Monique?


Acompanhamos a história da atriz desde muito antes do estrelado. Quando era apenas uma jovem com um imenso desejo à margem da sociedade. Não apenas mulher, como também latina, Evelyn sabia que precisaria trabalhar o triplo mais que qualquer um para chegar a qualquer lugar. Quais sacrifícios ela estaria disposta a fazer e qual seria seu limite?


Com uma trajetória solitária, podendo confiar apenas em si mesma, Evelyn chega ao topo, mas não sem sofrer. Em Os Sete Marido de Evelyn Hugo a autora conseguiu abordar com muita naturalidade e realismo, em uma trama redonda e fechadinha, assuntos como machismo, xenofobia, violência e sexualidade. Inúmeros paralelos que ainda continuam presente em pleno século 21.


Fazia muito tempo que um livro não me arrebatava desse jeito. Eu me forcei a ler com calma, para absorver cada página da mesma maneira que um sommelier degusta o mais fino vinho. Reid parece escrever diretamente dos bastidores de Hollywood, com tanta proeza que me pergunto se Evelyn realmente existiu e se a autora a acompanhou como um silencioso fantasma.


É até um pouco difícil discorrer sobre o livro, uma vez que a vida de Evelyn é um mistério para todos, qualquer coisa que eu disse pode vir a ser um spoiler. De qualquer forma, o livro é facilmente um dos melhores  que já li e com certeza é a melhor leitura de 2021.


Em 2019 foi anunciado a compra dos direitos do livro para uma adaptação pela Freeform com Ilene Chaiken (The L Word, Empire) e Jennifer Beals (The L Word) na produção e a própria Taylor Reid no roteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou? Lembre-se sempre da educação!