13 julho 2016

Coração Ardente [Bloodlines #4]- Richelle Mead

ATENÇÃO: Contém spoilers dos volumes anteriores

Sydney e Adrian já tinham praticamente criado uma rotina entre seus encontros às escondidas, responsabilidades e salvar o mundo quando Zoe Sage, a jovem alquimista que deseja ardentemente provar-se útil, se juntou à irmã na missão em Palm Springs. Logo Zoe, que é ingenuamente crédula das intenções dos Alquimistas e que pinta o pai como um herói. Não vai ser fácil para Sydney ter que o jogo de cintura para lidar com os ideais da irmã.
- Que foi? - ela perguntou, sem disfarçar a preocupação. - Você está bem?
- Tirando o fato que o mundo é um lugar frio e solitário sem você, sim, estou bem.
Afinal, O Feitiço Azul, não seguiu igual Vampire Academy com um final devastador, embora terminou na promessa que as coisas seriam difíceis dali para frente em Coração Ardente. Zoe é mais nova que Sydney e é tão fiel quanto ao pai aos Alquimistas, o que significa que é cega às manipulações psicológicas do pai - que só faz nos irritar mais e mais cada vez que aparece, meu deus do céu.

Apesar de Zoe dar nos nervos, é uma pena ver uma menina com potencial para tanta coisa boa perdida em uma lavagem cerebral familiar e profissional, ela nem suspeita que possa haver mais no mundo, que os Alquimistas possam estar precipitados em seus discusos e cheios de preconceitos construídos por anos. O que não ajuda Sydney em sua missão de maneira alguma. Não apenas por causa da rotina que já se estabeleceu ou de Sydney já estar confortável no meio daqueles que um dia achou que fossem criaturas das trevas, mas também porque Sydney é uma bruxa e rebelde alquimista. Como tentar mudar a quebrar o controle dos Alquimistas quando se tem uma firme e forte dormindo na cama ao seu lado?
Centrum permanebit. As palavras latinas brincaram na minha mente, fortalecendo-me. Traduzido, elas significavam “O centro vai permanecer” e eram um verso de um poema que Adrian e eu tínhamos lido. Nós somos o centro agora, pensei. E eu e ele iremos permanecer, não importa o quê.
Em Coração Ardente conseguimos ver, através da inserção de Zoe e da presença mais frequente do pai das meninas, um pouco mais da organização que rege o mundo Alquimista e o como ele treme na linha entre absurdo e coerente, dando assim cada vez mais base às dúvidas e questionamentos de Sydney que quer mais do que nunca ajudar tanto o mundo dos humanos quanto o mundo sobrenatural. Não tem como ler esse livro e não começar a traçar alguns paralelos com a realidade, como o preconceito, a ignorância, a força da família e da religião de maneira desmedida na vida das pessoas.

Adrian também está passando por dificuldades com o Espírito. A presença de Zoe alterou a frequência de seus encontros com Sydney e o estudo do Espírito começou a desgastar sua mente instável, tanto que começou a ouvir a tia Tatiana. A tentação dos antigos maus hábitos começa a aparecer e Adrian vai precisar da força de vontade que tem e a que não tem para não cair novamente no buraco da depressão e insanidade.
Ela era a garota. Aquela que mudou tudo. Aquela que me mudou.

Título Original: Fiery Heart
Título Brasileiro: Coração Ardente
Autor(a): Richelle Mead
Editora: Seguinte
Páginas: 414
Ano: 2014
Sinopse: No quarto volume da série Bloodlines, enquanto Sydney Sage esconde seu romance ardente com o vampiro Adrian Ivashkov, a ameaça de ser descoberta — e mandada para a terrível reeducação — é maior do que nunca. Criada desde criança para desprezar os vampiros, a alquimista Sydney Sage acabou vencendo seus preconceitos em sua última missão. Aos poucos, a garota não só criou laços de amizade com esses seres como acabou se apaixonando por um deles — o irresistível Adrian Ivashkov — e, surpreendendo até a si mesma, decidiu levar o relacionamento proibido adiante, em segredo. Tudo se complica quando Zoe, sua irmã, se junta à missão. Sydney precisa guardar seu segredo enquanto tenta fazer com que a caçula perceba como as crenças alquimistas estão equivocadas. Enquanto isso, Adrian sofre com os fortes efeitos do espírito — um elemento mágico que, ao mesmo tempo em que lhe confere poderes, pode levá-lo à loucura. Sydney é seu maior incentivo para abrir mão desses poderes e buscar uma saúde mental equilibrada, mas Adrian nem consegue imaginar como seria vê-la machucada e não poder fazer nada. Agora, ele precisa escolher entre sua sanidade e a capacidade de ajudar a todos — especialmente aqueles que ama.
Avaliação:


Nenhum comentário:

Postar um comentário