08 abril 2016

#BEDA2016 | O Chamado do Cuco - Robert Galbraith

Skoob
Título Original: The Cuckoo's Calling
Título Nacional: O Chamado do Cuco
Autor(a): Robert Galbraith (pseudônimo de J.K. Rowling)
Ano: 2013
Editora: Rocco
Páginas: 448
Sinopse: Quando uma modelo problemática cai para a morte de uma varanda coberta de neve, presume-se que ela tenha cometido suicídio. No entanto, seu irmão tem suas dúvidas e decide chamar o detetive particular Cormoran Strike para investigar o caso. Strike é um veterano de guerra, ferido física e psicologicamente, e sua vida está em desordem. O caso lhe garante uma sobrevida financeira, mas tem um custo pessoal: quanto mais ele mergulha no mundo complexo da jovem modelo, mais sombrias ficam as coisas e mais perto do perigo ele chega. Um emocionante mistério mergulhado na atmosfera de Londres, das abafadas ruas de Mayfair e bares clandestinos do East End para a agitação do Soho. O chamado do Cuco é um livro maravilhoso. Apresentando Cormoran Strike, este é um romance policial clássico na tradição de P.D. James e Ruth Rendell, e marca o início de uma série única de mistérios.

Se tem uma autora que eu leria até a lista de compras, é a J.K. Rowling. Portanto, nada mais normal que minha ansiedade em ler O Chamado do Cuco, especialmente depois de ter lido Morte Súbita e não ter gostado muito, apesar de ser super bem escrito, como de costume. Não é a toa que a chamamos de rainha, mais uma vez veio provar que ela tem o dom. O Chamado do Cuco é incrível.
Wow estou me sentindo péssima. Péssima, sim, pois estamos em abril de 2016 e comecei essa resenha no começo de 2015. Um freaking ano para termina-la! Que coisa vergonhosa, Maria!

Voltando ao assunto que interessa: O Chamado do Cuco. Eu adoro romances policiais, foi praticamente apresentada a esse gênero pela Agatha Christie - o que me deixou um pouquinho, assim... mal acostumada. Sou um pouco exigente com o que leio desse gênero, por algum motivo alguns autores parecem acha-los fáceis de se escrever e subestimam a capacidade do leitor. Eu sempre acabo resolvendo o mistério antes e passo o livro torcendo para estar errada. Spoiler alert: raramente estou. E foi por esses motivos que eu amei o livro: me surpreendeu, me deixou confusa, precisei pensar e repensar, e quando as coisas começaram a fazer sentido já estava no final do livro com as revelações sendo feitas,
"Agora, porém, dessas marcas pretas e secas no papel, das mensagens erraticamente registradas e pontilhadas de piadas e apelidos, o espectro da morta surgia diante dele na sala escura."
O Chamado do Cuco, escrito em terceira pessoa, me remeteu ao meus primeiros contatos com os livros da Christie. Talvez seja o estilo inglês das duas, ou o detetive peculiar presente em ambas narrativas, mas fato é que me cativou de verdade. Queria saber o próximo passo e o que Strike estava pensando tão misteriosamente. Queria entender e conhecer quem era Strike e me afundar em sua história e acompanhar de perto o desenvolvimento do caso.

Uma personagem que eu não esperava que fosse ganhar certo destaque (e por certo destaque entendam aqui que eu esperava nada dela) foi sua secretária temporária e aspirante a detetive, Robin Ellacott. Ela é tão jovem o quanto ele é tão velho (não mentira, não é tão velho assim) e já pensei comigo que "putz, vai ser aquele clichê deles se envolvendo?". O relacionamento dos dois é uma bolha de ar fresco em meio ao caso estranho e misterioso que se envolveu. Ela é eficiente, perspicaz e determinada. E oferece a Strike, pelo menos aos meus olhos, não uma forma de amor romântico mas uma espécia de família para esse homem tão solitário e amargurado. Estou ansiosa para ler os próximos e ver esse relacionamento evoluir e amadurecer.
"Os mortos só podiam falar pela boca dos que ficaram e pelos sinais que deixavam"
Quanto ao caso que move o livro - não poderia deixar de lado, é a parte mais importante! -, como eu há disse nos parágrafos acima, me surpreendeu positivamente. Quando Jo se compromete com alguma coisa ela realmente faz. Ela me perdeu em alguns momentos, me distraindo com pistas falsas e atitudes estranhas. Me perguntava onde é que queria chegar, o que estava acontecendo afinal?!

O livro, a grosso modo, também me lembrou do seriado Castle. Não que sejam mesmo estilo ou algo assim, nem sei exatamente o porquê dessa ligação na minha cabeça. Talvez tenha sido um caso similar que eles investigaram, e a forma de investigação. Só sei que, conforme lia, podia ver claramente as cenas na minha cabeça como se fosse uma série ou um filme.
"Bristow parecia querer poder beber o conteúdo da mente de strike. Seus olhos míopes sondaram cada centímetro da cara do detetive com uma expressão entre o temor e a súplica"
O  livro é ótimo, a edição é linda, de capa dura e misteriosa. Quero adquirir logo os outros livros que já foram lançados (O Bicho-da-Seda e Vocação Para o Mal). Saiu no final de 2014 a notícia de que a BBC iria adaptar os livros do Strike, agora só esperando para que saia logo as notícias!

Avaliação:

Nenhum comentário:

Postar um comentário