04 abril 2016

#BEDA2016 | Feliz Aniversário, Caju!

Vou contar um causo para vocês:
Estava eu tranquilamente na manhã de segunda abrindo meu notebook com intenção de conferir meu e-mail quando ao carregar o google, que possuía um doodle novo. Minha reação foi:

"Nossa mas parece o... ai.meu.deus.".

Foi então que me atingiu: hoje é o quinquagésimo oitavo aniversário do Agenor de Miranda Araújo Neto. Caraca, Cazuza estaria fazendo 58 anos!

Eu não vou mentir e dizer que quase teria esquecido do aniversário dele. Na verdade, se não fosse o doodle seria apenas mais um dia na minha vida, sério. Não lembro aniversários, ponto. E de qualquer forma, não sou obrigada a lembrar o dele só porque eu sou uma fã, mas essa é uma conversa para uma outra hora. Hoje quero focar no querido Caju.

Veja bem, eu tenho 22 primaveras e nesse ínterim posso dizer com orgulho que Cazuza esteve presente em todos os anos da minha vida. Sem brincadeira, o cara esteve presente desde os meus mais tenros anos, passando pela minha tediosa juventude e agora no inicio da minha vida adulta. De maneira indireta, eu sei, mas sua presença através da música é uma constante que tenho como dada em minha vida.

Enquanto crescia ouvia muito MBP por conta dos meus pais e seus amigos. Eram festivais, shows, CDs. Cazuza era um dos muitos artistas que viviam tocando e casa, um dos favoritos do meu pai que saía cantando a plenos pulmões pela casa com uma bandana na cabeça e trejeitos artísticos. Tinha como não me apaixonar por esse artista? Eu acho que não.

Conforme fui ficando mais velha, as músicas começaram a fazer mais sentido e passaram a ser mais do que apenas bonitas melodias para os meus ouvidos infantis. Exagerado, Codinome Beija-Flor, Faz Parte do Meu Show eram uma das minhas músicas favoritas. E cada ano eu admirava ainda mais suas músicas cheias de metáforas e mensagens que eu passava a entender melhor, e  a cada ano meu repertório aumentando quando tomava conhecimento de mais músicas dele, ou de covers de outros artistas.

Eu não tive a mínima oportunidade de ir a um show seu. Caramba, não compartilhamos sequer um ano estando vivos, uma vez que ele faleceu quatro anos do meu nascimento, o que é triste por diversos motivos. Ainda assim, de alguma forma simbólica, ele me acompanha e esteve comigo em meus altos e baixos. Foi e é parte da trilha sonora da minha vida. E hoje, quero celebrar seu tempo de vida, sua vida artística, sua pessoa.

Viva Cazuza! E feliz aniversário, Caju! <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário