10 outubro 2013

Os Adoráveis - Sarra Manning


Título Original: Adorkable
Título Brasileiro: Os Adoráveis
Autor(a): Sarra Manning
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Sinopse:Jeane Smith é uma blogueira de sucesso na internet, de estilo alternativo e único, independente e emancipada que mora em Londres. Michael Lee é o estereótipo de rapaz perfeito, ativo e popular na escola e bom filho, correto até demais. Jeane e Michael são opostos nas mais diversas maneiras, entretanto, algo os impulsiona um para o outro.


Jeane Smith é dona do blog Adorkable, que faz sucesso na internet e que já ganhou até prêmios. Ela possui mais de meio milhão de seguidores do twitter e chama a atenção por sua excentricidade: cabelos coloridos, roupas de bazares e brechós, um estilo sempre único e diferente a cada dia. Com apenas 17 anos, mora sozinha e se vira muito bem sem os pais e a irmã mais velha. Jeane namora Barney, um rapaz tímido e introspectivo – e que se dão melhores como amigos.

Michael Lee é o oposto de Jeane. É envolvido com as atividades escolares, veste roupas da moda e está sempre com o cabelo penteado. Pratica esportes, possui boas notas e é um filho exemplar. Também é dependente dos pais e namora Scarllet, uma garota sem graça e sempre à beira do choro.

Quando Barney e Scarllet terminam o namoro, Jeane e Michael se veem próximos por um infortúnio. Porém, após um primeiro e inesperado beijo, os dois não conseguem ficar longe um do outro e se envolvem em um relacionamento às escondidas e descompromissado.

"As pessoas têm tanto medo de dizer a verdade porque a verdade é caótica e complicada, e, decididamente, nada legal, mas nada legal era o jeito que eu estava."

Com uma narração simples e bem jovial, Os Adoráveis discorre não somente sobre adolescentes e seus brinquedos tecnológicos, mas também sobre seu lugar na sociedade e sobre saber e conhecer quem você é. Em nossa era tecnológica, com a rápida troca de informações e exposição na internet, raramente estamos desconectados. Atualizamos nossos status com o que gostamos, tuítamos o que estamos fazendo, postamos fotos de algo que acabou de acontecer. E blogamos, claro. Expomos nossa opinião, estilo, preferências. Interagimos com gente de todas as idades, sexos e nacionalidades. É fácil se prender (e se perder).

Durante a leitura, meus sentimentos com relação à Jeane foram bem conflitantes. Ela usa roupas extravagantes sem medo e possui uma honestidade ácida. É arrogante e extremamente controladora e defende sua opinião como se sua vida dependesse disso, além de achar ser a dona da verdade absoluta. Às vezes – muitas vezes – ela me irritava por ser assim tão expansiva. Mas talvez seja apenas por eu ser muito diferente dela e admirar – até mesmo invejar um pouco – sua coragem em ser quem é e não ter vergonha nem desanimar com as dificuldades em seu caminho.

"(...) é preciso ter os próprios sonhos e inspirações, e não viver por meio de outras pessoas."

Conforme seu relacionamento com Michael e a história se desenvolvem, descobrimos muito mais, além da Jeane de fachada, totalmente inatingível em seu pedestal de blogueira famosa. Há mais coisas dentro dela que saibamos e que ela mesma não tem muita coragem de enfrentar. Ela está tão focada no sucesso virtual, no seguro, que acha que pode suprir a vida real. E não é algo que nos deparamos corriqueiramente?

Adicionados a isso, veem as indagações de sempre da adolescência: Quem sou? O que sou? O que serei? São perguntas que todos já se depararam ou irão se deparar no decorrer da vida. Encontrar seu lugar no mundo e se descobrir, ter a coragem de se assumir, ainda mais nesta sociedade atual cheia de rótulos (nerds, geeks, dorks, etc).

Eu simplesmente adorei a leitura. Ele me fez rir e me fez pensar. Caramba, me fez até mesmo chorar. Talvez possa considerar Os Adoráveis uma espécie de manifesto sobre a nossa sociedade – principalmente os jovens – atual. Os personagens, principalmente Jeane e Michael, foram muito bem trabalhados e fizeram seu papel. Há muito tempo não lia um livro que realmente acrescentasse algo, que não fosse tão comercial.

"Jeane me deixava louco, e havia um monte de vezes que eu não gostava muito dela, mas ela era a porção da minha vida que nunca planejei (...)."

Cada capítulo é exposto por um ponto de vista, alternando entre Jeane e Michael. No começo, fiquei insegura e incerta, achando que não ia funcionar muito bem, mas este artifício ajudou a dar uma melhor visão das coisas, das próprias personagens e do que acontecia. Como não poderia faltar em um livro desse gênero, há a utilização de ferramentas como as postagens no blog da Jeane, alguns tuítes e –mails que também adicionam à leitura.

Bem escrito, com um enredo envolvente e surpreendente(!!). Não é uma previsível e assim como Jeane, é diferente. Os Adoráveis merece cinco borboletinhas e ir para a lista de leituras.

Avaliação: